quinta-feira, 30 de abril de 2009

Comando Delta Espiritual




Comando Delta Espiritual por Rick Joyner


Durante o ano de 2002, recebi algumas visões a respeito de uma força muito singular, embora ainda bem pequena, que está sendo preparada em diferentes lugares ao redor do mundo. Aqueles que fazem parte desta força têm a mais tenaz resolução de propósito que já vi em parte alguma. De fato, sempre que me lembro deles, a primeira coisa que me vem à mente é sua profunda convicção a respeito de quem são e para onde vão. Também têm uma devoção inegociável à verdade e à integridade.


Embora tenham a tendência de serem severos em suas atitudes, são impelidos por seu amor a Deus e ao seu povo. Não se vê, absolutamente, qualquer elemento de "graça barata" na vida deles; pelo contrário, seu amor é tão grande que, sem hesitação, arriscariam suas vidas até mesmo por uma só das ovelhas do Senhor.


Demonstram surpreendente confiança por causa do treinamento que receberam, porém ao mesmo tempo são tão humildes que sinceramente estimam os outros como mais importantes. É possível que seja o povo mais sobrenaturalmente poderoso que já andou sobre a terra num mesmo período de tempo. Serão conhecidos como "mensageiros do poder de Deus". Serão "brasas de fogo", andando sobre a terra, vindos do próprio trono de Deus, que ajudarão a desencadear avivamento e o mover de Deus aonde quer que forem enviados.


Estes mensageiros de poder já estão vivos e espalhados por toda a terra. É difícil encontrar mais do que três ou quatro em um mesmo lugar atualmente, mas nos próximos meses e anos começarão a formar núcleos um pouco maiores em alguns lugares. Por enquanto, uma mesma congregação que tenha até duas pessoas com este chamado já seria algo extraordinário. Muitas congregações não suportam o fogo que arde dentro deste grupo emergente e, em alguns casos, já estão tentando, ou ainda tentarão, se livrar deles.


Estas pessoas têm dificuldade em se encaixar na igreja como está hoje. Estão marchando de acordo com outro ritmo, com outro som. O inimigo vai tentar aproveitar-se desta situação para fazer com que se tornem amarguradas e rebeldes, pois sabe muito bem que esta seria a maneira mais eficaz de desqualificá-las do seu propósito. Mas mesmo que resistam à tentação de serem amarguradas ou rebeldes, a maioria está tão séria e concentrada no seu alvo que não consegue se encaixar na vida da igreja típica de hoje. Por causa disso, o Senhor já está preparando lugares onde poderão se ajuntar com outros que têm o mesmo chamamento. Estas são as "forças especiais" de Deus. Se pudermos compreendê-los, muitos problemas desnecessários poderão ser evitados e toda a igreja poderá se beneficiar grandemente do seu ministério.


Uma das tarefas mais importantes das forças especiais nos exércitos deste mundo é treinar pessoas nativas em outros países para realizar operações e táticas especiais. Da mesma forma, estas forças especiais no campo espiritual serão enviadas pelo mundo inteiro para treinar líderes cristãos nativos em lugares onde grandes avanços espirituais estão prestes a começar. Serão os verdadeiros apóstolos, profetas, evangelistas, pastores e mestres que cumprirão o mandato de Efésios 4 de equipar os santos para fazer a obra do ministério. Serão enviados para equipar aqueles que estarão à frente do ministério dos últimos dias. Sua grande eficácia em equipar os santos para cumprir seu chamamento será por si só uma grande fonte de poder que começará a transformar radicalmente a igreja.


Um Exército de Jovens


Os mais velhos que vi nesta grande companhia ainda estavam com menos de 30 anos de idade. A maioria ainda são crianças e muitos estão por nascer. Isto me leva a acreditar que o propósito deles se tornará progressivamente mais e mais claro durante as próximas décadas. É verdade que estamos chegando ao fim desta época, mas é também crítico entendermos que ainda temos alguns anos (ou décadas) à nossa frente. Devemos, portanto, preparar-nos para o futuro com estratégia e visão – não com uma mentalidade de escape.


Há alguns "Josués" e "Calebes" da geração anterior que estão ajudando a preparar estes jovens mensageiros de poder no seu chamamento. Quando Israel falhou e não entrou na Terra Prometida a primeira vez, Josué e Calebe não começaram a se queixar da sua própria geração. Partiram imediatamente para treinar a próxima geração para entrar na terra. Da mesma forma, muitos que fazem parte da geração atual são chamados para ajudar a preparar a próxima e a guiá-la no meio dos acontecimentos vindouros.


Alguns daqueles que são chamados para guiar a próxima geração já estão bem idosos. Serão renovados e haverá uma poderosa unção sobre eles para que ajudem a renovar a igreja. A noiva de Cristo não terá mancha, o que significa que será pura. Não terá rugas, ou seja, será eternamente jovem. Esta unção de juventude virá sobre a igreja de uma forma bem sobrenatural. Os mais idosos começarão a ficar mais jovens e até seus corpos físicos serão vivificados por aquele que é capaz de ressuscitar nossos corpos mortais. Um toque do Senhor poderá nos renovar como nenhum Oil of Olay seria capaz de fazer. Ninguém que está vivo será velho demais para aquilo que virá. Podemos ser renovados em nossas forças.


Entretanto, a maioria daqueles que vi nesta grande companhia que está surgindo era fisicamente jovem. Mesmo alguns que eram bem jovens demonstravam uma atitude de resolução tenaz em seu semblante. Esta era uma característica que todos tinham em comum e era assim que reconheciam um ao outro – por sua concentração séria e inflexível no seu propósito. Isto é impossível de demonstrar, a menos que realmente se tenha uma profunda convicção de quem é, do que está fazendo e do por quê.


Embora haja alguns "Josués" e "Calebes" nesta geração atual, assim como Josué e Calebe eram literalmente "um em um milhão" na sua geração, seus números serão muito pequenos agora também. Alguns dos líderes cristãos atuais estão entre os maiores que já viveram e, como João Batista, estão aqui para preparar o caminho para aquilo que virá. Como João Batista, profetizarão sobre os que virão após eles, mas mesmo assim não os compreenderão plenamente, nem a sua mensagem. Muitos nesta presente geração de líderes estão cumprindo sua missão e o estão fazendo muito bem.


Outra vez, é essencial que estes líderes da presente geração compreendam que seu propósito é preparar e equipar a próxima geração. O ministério para jovens e crianças será o coração e enfoque central de toda congregação que quiser participar deste próximo mover de Deus que se tornará o maior que já veio sobre este mundo.


Uma visão se repetiu várias vezes sobre este assunto: uma menina entre oito e dez anos lutava contra demônios com a coragem, a perseverança e a sabedoria da mais experimentada guerreira. Esta pequena garota nunca teve chance de brincar com bonecas, mas também nem tinha vontade. Ela estava liberando almas e dando coragem a uma grande companhia que vivia todos os dias com um só propósito – de fazer tudo em favor do evangelho. Vi pequenos garotos que nunca brincaram de exército porque estavam no exército de Deus. Eram soldados e tinham uma sabedoria muita além da sua idade. A seriedade nos semblantes destas crianças era algo assombroso. Porém, a paz e a alegria que se estampavam ali também eram algo além do que crianças brincando jamais poderiam experimentar. Estas crianças realmente estavam ali com o objetivo de ver sinais e maravilhas acontecerem.


Pessoas Sem Nome e


Sem Rosto


Já ouvi Paul Cain falar muitas vezes sobre uma visão reincidente, que teve através dos anos, de "pessoas sem nome e sem rosto". Serão pessoas que encherão estádios de multidões para ouvir o evangelho. Curarão toda espécie de doença e até levantarão os mortos, mas ninguém saberá nem o nome deles. Esta é uma visão verdadeira. Creio que vi este mesmo grupo, antes mesmo de conhecer Paul ou de ter ouvido falar da sua visão.


Durante os últimos meses, também tenho recebido uma mesma visão, várias vezes, a respeito deste grupo que virá. Cada vez que se repetia, a visão dava um pouco mais de revelação sobre como será este grupo e quem são as pessoas que farão parte dele. Estou usando o termo "Comando Delta Espiritual" aqui, porque vi que há vários paralelos entre estes futuros "mensageiros de poder" e o * Comando Delta do exército norte-americano.


Os Estados Unidos não reconhecem oficialmente nem que o Comando Delta exista, embora todos agora saibam da verdade. Da mesma forma, a igreja, em geral, raramente admitirá que seu "Comando Delta" existe. O Comando Delta é a elite da elite das forças militares dos Estados Unidos e está entre os melhores lutadores e agentes secretos do mundo, porém seus membros jamais querem ser reconhecidos nem receber fama por suas proezas. Por quê? Porque assim que forem conhecidos, não conseguirão mais fazer seu trabalho. De forma semelhante, o Senhor está levantando uma força elite entre os melhores dos melhores da igreja dos últimos dias. Como o Comando Delta, temem o reconhecimento porque comprometeria sua capacidade de realizar sua missão. Eles vivem em função de apenas um propósito – realizar plenamente o que foram colocados nesta terra para fazer. Por isto, seu grande temor realmente é de receberem reconhecimento.


Nosso Maior Inimigo –


O Ciúme


Embora a própria palavra "elite" seja ofensiva a muitos cristãos, a verdade é que o processo de chamar, treinar e equipar esta força especial de cristãos é uma das coisas mais importantes que está acontecendo na terra hoje. O nascimento, desenvolvimento e disposição do Comando Delta é um dos maiores exemplos de perseverança e dedicação à visão profética demonstradas por um pequeno grupo de indivíduos na história militar dos Estados Unidos. Previram a ameaça do terrorismo e, durante décadas antes deste conflito atual, tentaram preparar o país para isto. Enfrentando contínua oposição por parte dos seus colegas oficiais e até de líderes civis do exército, mantiveram firme sua direção e prevaleceram. Quando a hora chegou, estavam prontos e agora estão nas primeiras fileiras nesta guerra. A maioria das pessoas nem sabe o que é o Comando Delta, nem o que está fazendo. E é assim que eles querem que seja.


A razão principal pela constante oposição que o Comando Delta recebia do resto do Exército pode ser resumida em uma palavra: ciúme. Já havia algumas unidades de elite, como os Rangers e os famosos "Boinas Verdes" ou fuzileiros navais, todas as quais se achavam adequadas para o desafio. Ficaram ainda mais ofendidos quando as melhores tropas das suas unidades foram recrutadas para uma força secreta que seria ainda mais focada no alvo e mais elite que elas.


Assim, o maior desafio para a sobrevivência do Comando Delta foi interno, vindo do próprio Exército. Foi só através de um dos maiores exemplos de liderança e visão na história do país que um coronel e alguns generais conseguiram, primeiro desenvolver a visão da Força, e depois levá-la a superar todos os obstáculos.


O mesmo será necessário daqueles que forem chamados para guiar as forças especiais que estão sendo levantadas agora para enfrentar os desafios que virão no mundo espiritual. A maior batalha de sobrevivência será enfrentar ciúme de dentro da igreja. Isto não é nada novo. Está escrito que nosso Senhor foi crucificado por inveja (Ver Mt 27.18; Mc 15.10).


Aqueles que ficarem ofendidos pela palavra "elite" se tornarão em alguns dos maiores obstáculos à preparação do ministério dos últimos dias. Porém, lidar com isto faz parte do treinamento. Há uma força elite de cristãos sendo levantada que é, e precisa ser, muito diferente dos cristãos típicos e mornos das nossas igrejas atuais. Não só terá padrões mais altos, mas terá padrões muito mais altos. Quando esta força for liberada para agir, um só literalmente afugentará mil, e dois perseguirão dez mil.


Muitos vão permitir que o ciúme os transforme em opositores daquilo que virá, mas muitos outros serão tocados em seus corações pela devoção focalizada destes mensageiros de poder e serão despertados do seu sono e das atitudes de mornidão. O resultado final será que a igreja inteira será transformada desta multidão espiritualmente confusa, com que se parece hoje, naquela força disciplinada e poderosa que sempre foi o propósito de Deus para ela.


Conheça Seu Lugar


Assim como o Comando Delta não pode ganhar sozinho uma guerra contra uma outra grande potência, porém depende de toda a força militar dos Estados Unidos, a igreja não poderá ganhar suas batalhas dos últimos dias apenas com suas forças de elite. As táticas em que o Comando Delta foi treinado seriam inúteis num campo de batalha convencional. Da mesma forma, os dons e habilidades espirituais destes "mensageiros de poder" que estão para surgir simplesmente não funcionarão na igreja em geral, nem na maioria das batalhas espirituais que precisam ser travadas. Embora a maioria da igreja hoje esteja dormindo em relação ao tempo em que vivemos e precise ser despertada por esta grande força que está sendo levantada, poucos cristãos foram chamados para fazer parte deste grupo.


Isto significa que a maioria dos cristãos foi chamada para uma posição inferior no exército espiritual? De modo nenhum – apenas diferente. Grande parte das tremendas proezas espirituais será realizada por aqueles que estão labutando regularmente no dia-a-dia das linhas de frente nas suas igrejas locais. Aqueles que demonstram a coragem de segurar a linha contra as grandes investidas do inimigo e que depois ainda se dispõem a deixar a segurança das trincheiras para atacar as fortalezas do inimigo, não são menos heróis do que os outros que estão envolvidos em operações especiais. A maioria dos grandes heróis na história militar foram cozinheiros ou membros da equipe de apoio, que pegaram em armas e lutaram como leões quando houve necessidade. Alguns dos grandes líderes e heróis da fé nos últimos dias também surgirão de origens inesperadas.


A igreja precisa compreender que há uma "força de elite" sendo preparada agora e também descobrir como se relacionar com ela. Esta não ganhará sozinha a vitória completa, contudo contribuirá muito para que seja ganha. Poucos saberão quem eram estas pessoas ou o que fizeram, mas isto é exatamente o que estes guerreiros preferem.


Lembremos também que os generais que dirigem grandes exércitos, comandam navios ou pilotam aviões certamente são tão importantes quanto aqueles que podem liderar pequenas unidades especiais. Todos precisamos uns dos outros e todos precisamos estar seguros no nosso próprio chamamento.


Porém, assim como as forças especiais do exército dos Estados Unidos se dedicam à excelência que ajuda a elevar o padrão de todo o contingente militar, estas forças especiais que estão sendo levantadas agora na igreja ajudarão a despertar os demais e a elevar o padrão de todos os verdadeiros cristãos.


Hierarquia no Reino?


A democracia é um dos grandes presentes de Deus para a humanidade. Para a condição caída do homem, é a melhor e mais segura forma de governo. As liberdades que vieram através do estabelecimento da democracia na Terra também estão ajudando a preparar o mundo para a vinda do reino, porque "onde o Espírito do Senhor estiver, aí também haverá liberdade" (2 Co 3.17). Mesmo assim, o reino não é uma democracia – e nunca será. Há uma aristocracia no céu e muitas das recompensas por nossa fidelidade na Terra irão durar pela eternidade. A mais fundamental dessas recompensas é justamente nossa posição no céu. Nós não seremos todos iguais lá e as Escrituras são bem claras sobre isto. Há posições no céu, chegando até ao privilégio de sentar-se à direita e à esquerda do Pai, as quais estão sendo determinadas por nossas vidas aqui na Terra.


É exatamente sobre esta ordem e posição no céu que o apóstolo estava falando, quando disse em Filipenses 3.13-14: "Irmãos, quanto a mim, não julgo que o haja alcançado; mas uma coisa faço, e é que, esquecendo-me das coisas que atrás ficam, e avançando para as que estão diante de mim, prossigo para o alvo, pelo prêmio da soberana vocação de Deus em Cristo Jesus". Paulo não estava falando sobre salvação aqui, pois ele estava totalmente redimido e salvo desde o primeiro momento em que creu na expiação da cruz. O que ele chama de "chamado para o alto" ou "alta vocação" era justamente o chamado para subir para mais perto de Deus. Paulo entendia que havia muito mais a buscar do que salvação, o que se transformou na poderosa força motriz por trás de sua grande devoção.


Todo aquele que começa a vislumbrar esta alta vocação será compelido a deixar de lado todo e qualquer obstáculo a fim de correr a corrida e ganhar o prêmio. Não há nenhum empreendimento semelhante no universo que possa se comparar com a oportunidade que temos de alcançar esta posição em Cristo. Para aqueles que percebem o chamado, não haverá maior ambição do que esta, de ouvir no dia do grande julgamento: "Bem está, servo bom e fiel" (Mt 25.21). Na verdade, todo aquele que tenha visto o Rei exaltado que servimos e que não esteja ardendo com intensa paixão para fazer todas as coisas por amor a ele, certamente já caiu num terrível engano. Aqueles que verdadeiramente seguem o Rei vivem para fazer a vontade do Mestre.


Mesmo assim, para vencer esta corrida, teremos de subir acima do nível onde se busca a própria ordem e posição. Isto parece um paradoxo – e é. Para vencer esta corrida, precisamos nos esvaziar a tal ponto de ambição egoísta e encher-nos tanto de amor por Deus e por nossos companheiros soldados da cruz, que faremos todas as coisas para sua glória e para o benefício deles, não apenas em função de uma possível posição que possamos alcançar. Para vencer a corrida, precisamos crescer em amor por nosso semelhante, a ponto de entregarmos voluntariamente nosso próprio lugar a ele. É buscando nosso próprio interesse que perdemos e, por estar prontos a perder nossa vida para o bem do outro, que ganhamos. A mais alta posição é realmente para aquele que quiser ser o servo de todos.


Uma característica interessante do Comando Delta do Exército dos Estados Unidos é que eles não observam os protocolos militares normais. Não fazem continência aos oficiais e até o homem de menor graduação chama o coronel pelo seu primeiro nome. Como pode uma força de elite ser tão faltosa nessas disciplinas militares básicas? Quando você é o melhor, realmente deixa de se importar com títulos e ordem. Da mesma maneira, aqueles que alcançaram as mais altas posições no reino chegaram lá, em parte, justamente por não mais se preocuparem com tais coisas. É provavelmente por isto que até o grande apóstolo Paulo, perto do fim da sua vida, não achou que tinha atingido a alta vocação e estava determinado a prosseguir firme para o alvo.


É claro que uma das razões pelas quais o Comando Delta não observa protocolos militares é que não querem ser reconhecidos nem como militares e não querem que alguém chegue e os chame por algum título ou tratamento hierárquico, que denuncie sua verdadeira identidade. De toda forma, se um sargento no Comando Delta é quem tem maior perícia naquela área que será mais importante numa determinada missão, é ele que receberá a incumbência de conduzir aquela missão e o coronel irá segui-lo. Num certo sentido, eles subiram acima de questões de posição e estão num lugar onde reconhecem que os ungidos lideram. Isto é porque subiram ao lugar onde o importante é dar atenção àquilo que é importante, que é realizar o trabalho.


Da mesma forma, aqueles que forem os maiores apóstolos, profetas etc., que em breve serão liberados na Terra, ligarão pouco para tais títulos. Na realidade, prefeririam não ser conhecidos por títulos. Eles não fazem coisas para serem reconhecidos, mas procurarão propositadamente se tornar "sem reputação". Entretanto, serão usados para realizar os mais extraordinários milagres, às vezes enchendo estádios e conduzindo multidões à salvação; mas partirão antes que alguém descubra quem são. É suficiente para eles serem reconhecidos por seu Rei e serem simplesmente capazes de fazer sua vontade. Buscam sua recompensa no céu, não na Terra.


Se o exército regular tentasse funcionar com as regras do Comando Delta, logo degeneraria numa multidão indisciplinada que seria presa fácil a uma força muito menor que tivesse rígida disciplina militar. Embora os títulos estejam sendo usados de forma abusada em grande parte na igreja hoje, ainda precisamos deles. Há posições de autoridade na igreja que precisam ser reconhecidas a fim de se receber benefício espiritual delas (veja Mt 10.41).


Por este motivo, não é errado reconhecer as posições de autoridade na igreja. Entretanto, quanto mais verdadeira autoridade espiritual a pessoa tiver, menos ela se importará com reconhecimento humano. Aqueles que mais quiserem exigir reconhecimento, menos autoridade verdadeira terão – ou serão até mesmo falsos. Jezabel se intitulou profetiza (Ap 2.20). Precisamos aprender a examinar aqueles que se intitulam apóstolos e não o são, como também aqueles que usam qualquer outro título.


Conclusão


Já fui acusado muitas vezes de tentar levantar "uma elite cristã". Quero deixar claro que sou plenamente culpado das acusações. Quanto mais o Senhor me mostra sobre esta força espiritual que está para surgir, mais dedicado fico a este propósito. Entretanto, não vejo em mim um líder deste grupo, nem mesmo um dos seus líderes. Estou simplesmente tentando abrir um espaço para eles por ter visto algo da sua importância.


De fato, temos alguns que foram chamados para fazer parte desta grande companhia nas nossas congregações e em cada classe da nossa Escola MorningStar de Ministério. Porém, são apenas alguns poucos indivíduos em cada um destes lugares. Posso discerni-los porque são muito diferentes. Enquanto outros estão crescendo espiritualmente, estes estão crescendo radicalmente. Enquanto outros estão se divertindo, estes estão orando, estudando, saindo para as ruas para testemunhar, expulsar demônios e orar pelos enfermos. É assim que passam seu "tempo de lazer".


A igreja perfeita se modela perfeitamente no ministério do próprio Senhor. Seu ministério era para as multidões, mas tinha outro grupo menor ao qual dava mais atenção. E entre estes, havia um outro grupo menor ainda com quem compartilhava tudo. Esta é a razão, eu creio, por que tanto o Tabernáculo de Moisés como os diferentes templos tinham todos três repartições.


Se só quisermos ministrar à elite e não tivermos nada para as multidões, ficaremos desequilibrados e possivelmente enganados e sectários. Se só ministrarmos às multidões e não tivermos um grupo que estamos ajudando a avançar mais para frente, para cima e com mais profundidade, teremos uma tendência de ser muito superficiais e de talvez promover a mornidão e a misericórdia sem santidade.


Assim como o Átrio Exterior era a parte maior do tabernáculo, onde se encontrava sempre o maior número de pessoas, creio que a maior parte do nosso ministério precisa ser justamente aquela que atrairá a multidão. Porém, depois que as pessoas entrarem, precisam entender que podem avançar em Deus o quanto quiserem. Este é o seu chamamento.


Aqueles que quiserem prosseguir também precisam saber que o padrão para os que vão ministrar no Santo dos Santos é muito diferente. Algumas coisas que passavam no Átrio Exterior podem matá-lo no Santo Lugar. O caminho está aberto a todos, mas você precisa ir ao altar e morrer, ir à bacia e ser purificado e entender que quando você entra no Santo Lugar, não haverá nenhuma luz natural lá. A única luz que iluminará o local, depois de entrarmos lá, é a luz da unção do Espírito Santo. Enquanto prosseguimos para este compartimento final, que é o menor de todos, a única luz é da glória do Senhor. Ser capaz de ficar e ministrar na unção e na glória é algo muito além da capacidade da maioria das pessoas. Muitos desmaiam e ficam "prostrados no Espírito", apenas por chegarem perto. Entretanto, nós devemos aprender a ficar e a cumprir nossas tarefas, até na sua presença manifesta. Os maduros aprenderam a não cair. Mais do que qualquer coisa, precisamos daqueles que possam ficar — ficar na sua presença, como também ficar firmes contra qualquer investida do diabo. O Senhor está novamente fazendo a grande pergunta que fez através de Jeremias:


"Mas quem esteve no conselho do Senhor e viu e ouviu a sua palavra? Quem esteve atento à sua palavra e a ela atendeu?


"Eis que saiu com indignação a tempestade do Senhor; e uma tempestade penosa cairá cruelmente sobre a cabeça dos ímpios.


"Não se desviará a ira do Senhor, até que execute e cumpra os desígnios do seu coração; nos últimos dias entendereis isso claramente.


"Não mandei esses profetas, contudo eles foram correndo; não lhes falei, contudo eles profetizaram.


"Mas, se estivessem estado no meu conselho, então teriam feito o meu povo ouvir as minhas palavras, e o teriam feito voltar do seu mal caminho, e da maldade das suas ações" (Jeremias 23.18-22).


Rick Joyner é fundador e supervisor de MorningStar Ministries, em Charlotte, NC, EUA, um amplo ministério que envolve publicação de uma revista periódica, publicação e distribuição de livros e fitas, conferências, e treinamento de líderes, visando especialmente o ministério profético. Mais informações (em inglês) sobre seu ministério no seu site: www.morningstarministries.org.

3 comentários:

Débora da Vitória de Jesus. disse...

Caraca! Aleluia! Glória a deus. Vamos, amada! VaMOS!

Se você soubesse que este video sobre esta dança eu nun ca tinha visto. Fui no You TUbe e coloquei: Rhema Dança Bale. De aquilo ali. QUASE MORRI. FOI A MAIOR SURPRESA. JESUS ESTÁ COM A GENTE. AMADA!

verdade/ integridade/ humildade

Débora da Vitória de Jesus. disse...

GLÓRIA A DEUS! COM LETRA MAIÚSCULA!

Débora da Vitória de Jesus. disse...

Ah! Pensei que estivesse no blog de Alice. Desculpa.